» Galeria » 2017 » “COLECÇÃO CRESCENTE” 2017

Tomo

Tomo
“COLECÇÃO CRESCENTE” 2017

“COLECÇÃO CRESCENTE” 2017

De 30 de Março a 13 de Maio. Uma das iniciativas mais populares no domínio das artes visuais, com a presença de mais de uma centena de artistas

Esta iniciativa, levada a cabo pela Associação Kulungwana, vai já na sua sétima edição, com uma presença constante e entusiástica de mais de uma centena de artistas moçambicanos ou residentes em Moçambique. Artistas consagrados, jovens artistas em início de carreira, estudantes de arte e amadores ombreiam, lado a lado, numa mostra que já conquistou o interesse de todos os criadores. Este ano, como nas edições anteriores, há novas presenças, sendo a maioria constituída por estudantes das instituições de ensino médio e superior existentes na cidade.

Este entusiasmo estende-se igualmente ao público amante das artes, estudantes das diversas instituições universitárias e coleccionadores e outros interessados pela arte moçambicana.

Este ano, por motivos óbvios, que se prendem com a realidade política em que o país vive, a exposição está subordinada ao tema – A PAZ. Para um país jóvem, que conquistou a sua independência após uma Guerra de dez anos contra a presença estrangeira, a que se seguiria a grande gesta para a libertação da África Austral, com uma participação activa para a independência do Zimbabwe e para por fim ao sistema racial sul-africano, o país conheceu ainda uma violenta guerra civil, que só viria a terminar no início da década de 1990. Moçambique vive actualmente na esperança duma paz definitiva e para a qual os esforços de todos os moçambicanos serão necessários.

Por isso, não deixa de ser pertinente que a PAZ seja o tema sobre o qual os artistas elaboraram as suas obras, obrigando-nos a reflectir sobre a mesma e sobre o que ela significa para a vida do país e dos seus cidadãos.

A Embaixada da Noruega, associou-se a esta iniciativa desde a sua primeira edição e continua a ser parte activa deste projecto, procurando que a mesma tenha impacto a longo prazo na arte moçambicana e do continente, em geral.